Cuidado com os transplantes de cabelo ilegais

Técnicos a levarem a cabo a cirurgia. FUE retratada como “Tão Fácil” que pode ser feita numa linha de montagem

Pacientes de transplantes capilares em todo o mundo estão a ser atraídos para “clínicas piratas do mercado negro” operadas por técnicos com pouca ou nenhuma formação, que prometem resultados garantidos e que representam sérios riscos para homens e mulheres inocentes que procuram ajuda para a queda de cabelo.

Muitas das clínicas ilegais possuem websites com testemunhos que parecem muito profissionais. No entanto, a realidade é que a sua cirurgia pode ser feita por alguém sem formação médica.

“A procura é tão elevada que os taxistas e os refugiados sírios fazem a cirurgia em alguns países estrangeiros. Os pacientes são os que sofrem quando se apercebem, demasiado tarde, sobre quem fez a cirurgia e acabam com complicações, cicatrizes e linhas de cabelo que são anormais e desfigurantes”, disse Ricardo Mejia, MD, presidente do Comité da ISHRS sobre Questões Relacionadas com a Prática Não Licenciada da Medicina.

Dr_Ricardo_Mejia
Ricardo Mejia, MD, 2019 Presidente do Comité do ISHRS sobre Questões Relacionadas com a Prática Não Licenciada da Medicina.

É por isso que estamos a trabalhar diligentemente para o educar sobre estes perigos. Encorajamo-lo a verificar as credenciais da clínica e ou do médico.

No recente inquérito aos membros do ISHRS sobre transplantes de cabelo no mercado negro, estes confirmaram que esta prática é extensa e está a causar danos a pacientes em todo o mundo.

Infeção

Os problemas específicos reportados pelos membros incluem:

– Cicatrizes

– Linhas de cabelo não naturais

– Baixo crescimento capilar

– Direção do cabelo errada

– Área doadora esgotada no couro cabeludo deixando uma aparência calva. Infeções e contagens inexactas de enxertos.

Alguns pacientes pensam que estão a receber 4000-6000 enxertos quando na realidade poderão só receber metade.

Com a crescente popularidade do turismo médico nos últimos anos, imploramos-lhe que faça os seus trabalhos de casa antes de considerar um transplante de cabelo noutro país. As leis e os regulamentos relativos aos procedimentos cirúrgicos podem ser muito diferentes dos do seu próprio país.

Para além disso, não existe qualquer recurso quando alguma coisa corre mal. No recente inquérito ao ISHRS, quando foi pedido aos membros que classificassem numa escala de um a dez (sendo 10 o pior) a dimensão do problema das clínicas do mercado negro ou do pessoal não licenciado que realiza cirurgias de restauração capilar noutros países, 63,27% dos membros do ISHRS reconheceram a gravidade do problema e responderam com 8 (23,47%), 9 (13,27%) ou 10 (26,53%).

Arthur-Tykocinski
Dr. Arthur Tykocinski, Presidente do ISHRS 2019.

“Esperamos que os pacientes utilizem os novos recursos do ISHRS para se educarem sobre os riscos de se submeterem a um procedimento de restauração capilar no mercado negro e para se certificarem de que compreendem as leis e regulamentos locais ao considerarem um transplante capilar noutro país”, disse o Dr. Tykocinski , Presidente do ISHRS.

Não se torne uma vítima das clínicas de transplantes capilares inescrupulosas. Isto está a acontecer em muitos países onde é criado um modelo de negócio chave-na-mão. As clínicas de transplantes capilares surgem assim instantaneamente, levando a que as cirurgias sejam efetuadas por técnicos não licenciados.

Também recomendamos que se pretende viajar para o estrangeiro, saiba quem é o médico que vai efetuar a cirurgia. Verifique as credenciais e formação do ISHRS e peça para ter um supervisor na sala para confirmar de que é o médico que efetua a cirurgia. Se não for permitido, pense duas vezes. Se se preocupar com os seus resultados, poderá ter de pagar um pouco mais por um médico e por uma equipa qualificada e formada, do que o que pagaria a um motorista de táxi.

Para ler o comunicado de imprensa na íntegra, visite este link.

Ajude-nos a informar os consumidores sobre estas práticas, partilhando nas redes sociais o link para esta publicação no blogue.

Sharing is caring!

Leave a Reply